Volta do Mato-grossense depende das prefeituras, diz diretor da FMF

O diretor de competições da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), Diogo Carvalho, disse que uma possível retomada do Campeonato Estadual dependerá exclusivamente do governo do Estado e das prefeituras com representantes na segunda fase da competição. O dirigente ressalta que a liberação cabe às autoridades de saúde como Ministério da Saúde.

O Estadual entraria na segunda fase com Cuiabá, Operário Várzea-grandense, União de Rondonópolis, Sinop, Nova Mutum, Dom Bosco, Poconé e Luverdense brigando por vagas à semifinal. Donos das piores campanhas na primeira fase, Araguaia e Mixto foram rebaixados à Segunda Divisão do próximo ano.

Cada município tem sua recomendação própria para o combate contra o coronavírus. Segundo Diogo Carvalho, a realidade de cada cidade é diferente da outra.“Para voltarmos (Estadual) é preciso de autorização das autoridades de saúde. Do governo do Estado e das prefeituras municipais. É preciso ter cautela para tomarmos qualquer decisão a respeito do campeonato”, disse o dirigente, lembrando que as alternativas são dar por encerrado ou então a sequência do Campeonato Mato-grossense.

Dos oito times classificados ao mata-mata, apenas Cuiabá, Operário Várzea-grandense, União e Luverdense tem calendário. Já os demais já teriam encerrados as atividades neste primeiro semestre. Inclusive, os contratos profissionais dos jogadores já chegaram ao fim.