Vereadores luverdenses provam que projeto foi aprovado a 600 dias atrás

Na noite desta segunda-feira (10) os vereadores da Câmara de Lucas do Rio Verde, foram maioria em dizer sobre a atual situação da falta de água, o aumento no custo das faturas e principalmente pela entrevista do diretor de desenvolvimento Humano, Gilson Baitaca, que afirmou que o problema do abastecimento de água na cidade “é culpa dos vereadores que estão segurando os projetos de leis que irão contribuir para a melhora do Saae”, disse o diretor.

Na tribuna o vereador Airton Callai, foi enfático em apresentar vários projetos do Executivo que foram aprovados pelos vereadores e que favoreciam a sociedade quanto ao uso da água e esgosto.

“Quero relembrar que foi graças a alteração da Lei da Tarifa Social de Água e Esgoto feita pelo vereadores passou de 55 para mais de 4,5 mil luverdenses.  Foi por meio dessa casa que foi solicitado que não houvesse o corte de água durante esse período de pandemia,  fizemos a solicitação de prorrogação do IPTU.

CONSTRUÇÃO DE ETE – Um projeto para empréstimo de R$ 5 milhões para a construção da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) está aprovado desde fevereiro de 2018 e não até hoje não está pronta e se passaram mais de 800 dias.

Outro projeto que entrou nessa casa em junho de 2018 é o de um empréstimo de R$ 12 milhões para interligação das redes de água e construção de caixas d´água, que é justamente para que a cidade tenha uma distribuição igualitária e garantindo o fluxo, que o Executivo inclusive disse que iria contratar uma equipe da UFMT, para ver sobre o local da futura ETA (Estação de Tratamento de Água) para catação de água no Rio Verde, esse foi aprovado em novembro de 2018 (fazem 20 meses), depois de muitas discussões e estudos.

REDE DE ESGOTO – Quero relembrar ainda de um outro projeto que resultou em audiência pública, reuniões e estudos de mais um empréstimo, esse de R$ 18 milhões que foi aprovado em agosto de 2019 (um ano atrás) destinado para a fazer a rede de esgoto na Bandeirantes, Parque das Emas (que começou a poucos dias atrás) e recapeamento de asfalto então, quero deixar claro que nós fomos eleitos para analisar e fiscalizar os projetos.

Não podemos aceitar que falte com a verdade e dizer que a culpa é dos vereadores pela falta de água, uma hora são as crianças que estão em casa e agora os vereadores, tá muito fácil transferir a culpa, quero agradecer aos funcionários do SAAE que estão se dedicando para normalizar a situação, apresentei documentos que relatam nada mais e nada menos que a verdade” finalizou

Em entrevista o presidente da Casa, Dirceu Cosma também desmentiu o Diretor e esclareceu que todos os projetos são aprovados pelo bem da sociedade.

“Nossa função é fiscalizar, estudar, analisar e verificar e viabilidade dos projetos e em nenhum momento fizemos em prejudicar, porém não vamos aprovar projetos sem que haja todo um cuidado. Os projetos citados pelo Diretor foram votados em tempo hábil, votamos mais de 35 milhões em empréstimos, uma mais de 2 anos e as obras ainda não terminaram e o da Interligação da Água a 20 meses, acho que dava para ter resolvido” disse o presidente.