Já parou para pensar quanto custa um contentor de lixo? Ou quando ele é quebrado e precisa ser reposto? Em Lucas do Rio Verde, o preço atual de um contentor é de R$ 1.600, quase um salário-mínimo e meio destinado à reposição de um patrimônio público que já existia.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), autarquia responsável também por essas lixeiras, estima que somente esse ano foram reformados 300 contentores. Na maior parte dos casos, aponta o Saae, eles são quebrados por batidas de veículos, entulhos de construção descartados de forma irregular – que causam excesso de peso e quebram as rodinhas – e mau uso de forma geral.

“A demanda de contêineres quebrados é muito grande. Eles são comprados por licitação e nem sempre há novos disponíveis para repor”, apontou Jailton Marques, coordenador de resíduos do Saae.

Apesar de ocorrer mau uso em toda cidade, os bairros em que há maior incidência de depredação de contentores são: Rio Verde, Cerrado e Parque das Américas.

Quando um contentor é quebrado e passível de ser consertado, é levado para o Ecoponto, onde há um pequeno espaço para que sejam feitos os reparos, como reposição de rodinhas, colagem de tampas ou até mesmo “furos”.

Como a demanda tem sido cada vez maior, com uma média de cinco contentores quebrados chegando ao Ecoponto todos os dias, foi preciso contratar uma empresa por meio de licitação para ajudar com os consertos. Até os reparos saem por uma média de R$ 200 cada do dinheiro público.

“Quando eles são quebrados quer dizer que deixamos de investir em outras áreas para comprar contêiner. O pessoal não dá o valor que merece. Se todos cooperarem as coisas funcionam. Falta consciência da população”, lamentou o coordenador sobre os atos de vandalismo.

Além de não destruir os contentores, outra forma de colaborar para a preservação do patrimônio público é denunciando, caso presencie o ato de vandalismo:

Saae- (65) 3539-7700
Guarda Municipal – 153
Polícia Militar – 190

<< Matéria anteriorNova concessão da 163 entre Sinop-Miritituba apagará ferida deixada pela Rota do Oeste
Próxima matéria >>Disk Social segue atendendo para recolher móveis e eletrodomésticos usados