Os primeiros seis meses do ano registraram 2.101 atendimentos (total geral) na unidade do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Lucas do Rio Verde.

O relatório emitido pelo órgão com o balanço do primeiro semestre aponta que, do total de atendimentos preliminares realizados, 1.190, 90% foram resolvidos de forma imediata, no mesmo dia do atendimento, ou no prazo de até cinco dias úteis.

As empresas com mais reclamações registradas pelo Procon se enquadram nas categorias de: agência de viagens, companhias e serviços de telefonia, concessionária de energia elétrica, bancos e operadora de cartão de crédito.

O período registrou 91 audiências de conciliação realizadas, sendo 72 delas finalizadas com acordo e apenas 19 terminaram sem resolução. Zeni Andretta, coordenadora do Procon, explica como funciona o processo quando o consumidor procura a unidade com um problema.

“Nosso maior foco são os atendimentos preliminares, quando tentamos resolver a situação o mais rápido possível. Não obtendo resultado, abrimos uma CIP (Carta de Informação Preliminar) ou um Termo de Reclamação, cujos períodos são maiores, visto serem encaminhados via Correios. Mesmo assim, se o problema não for resolvido tentamos marcar uma audiência de conciliação”, disse a coordenadora.

As aberturas de reclamação direta, quando o prazo mínimo é de 40 dias, registraram 188 atendimentos. Foram lançadas 162 CIPs e 95 delas receberam retorno. Na simples consulta, quando a população busca tirar dúvidas, 448 pessoas receberam auxílio do Procon.

“Gostaríamos de ressaltar que o Procon é um órgão administrativo de orientação, educação e proteção aos consumidores. Caso não haja acordo, orienta-se aos consumidores que eles podem ingressar judicialmente para a resolução de sua pendência”.

Denuncie ao Procon

Para denunciar golpes ou qualquer irregularidade, o consumidor pode entrar em contato com o Procon de Lucas do Rio Verde nos telefones (65) 3548-2522 ou (65) 99225-4188 (Whatsapp). Também é possível registrar queixa na Polícia Civil via telefone 197 ou na Polícia Militar pelo 190.

“Pedimos a todos os consumidores que, ao se sentirem lesados ou verificarem algo em desconformidade com o Código de Defesa do Consumidor, que nos comuniquem para que possamos sanar essas irregularidades, melhorando assim o atendimento aos demais consumidores e evitando que outros saiam no prejuízo”, destacou Andretta.