O vice-governador Otaviano Pivetta: sem chance de retorno ao PDT

O vice-governador Otaviano Pivetta (sem partido) descartou a possibilidade de retornar à antiga legenda, o PDT. Ele afirmou que não se identifica mais com as pautas que a sigla tem defendido no Estado.

 

A sugestão de retorno foi feita pelo presidente estadual do PDT, deputado Allan Kardec, na última semana. Na ocasião, ele afirmou que Pivetta tem “sangue brizolista” e estaria ensaiando voltar ao partido para ser candidato em uma nova dobradinha com o governador Mauro Mendes (DEM).

“Sempre fui convicto brizolista. Mas deixei o PDT, há pouco tempo, porque vejo que o partido fala muito pouco sobre as ideias do fundador, que falava com maestria e autoridade sobre mudar o país por meio da educação”, disse, em entrevista à TV Pantanal, na segunda-feira (22).

Pivetta deixou a legenda em outubro do ano passado, após 15 anos. O pedido de desfiliação ocorreu após ele declarar apoio à então candidatura da tenente-coronel Rúbia Fernanda (Patriota) ao Senado. O apoio à bolsonarista, na época, não agradou aos líderes do partido.

Segundo o vice-governador, a possibilidade de sair candidato nas eleições de 2022, seja em uma chapa liderada por Mendes ou em uma disputa ao Senado, será tomada apenas em janeiro. Caso tenha essa vontade, pretende procurar um partido com o qual se identifique.

“O partido é necessário para concorrer em uma eleição. Para trabalhar e para viver, não precisa. Eu só vou definir se irei participar de alguma eleição em janeiro do ano que vem. Consequentemente, verei qual partido posso me encaixar ou escolher”, completou.