Para Binotti, retrospectiva mostra compromisso com seu Programa de Governo

- Publicidade -

Ao fazer um balanço sobre a gestão do Executivo durante o ano de 2019, o prefeito Luiz Binotti chamou a atenção para o fato de que Lucas do Rio Verde tornou-se um grande canteiro de obras e que o retrospecto das ações e projetos colocados em prática por intermédio do gabinete, das secretarias e órgãos vinculados à Prefeitura nos últimos doze meses mostra claramente o cumprimento de uma série de compromissos descritos em seu Programa de Governo.

“A nossa preocupação durante o ano de 2017 foi tomar pé da situação, colocar a casa em ordem, retomar muitos contratos emergenciais que tinham sido cancelados, efetuar pagamentos em atraso, inclusive da folha dos próprios servidores. Já 2018, por conta desses ajustes necessários para o equilíbrio das finanças municipais, foi um ano de muita economia e de muito planejamento para que soubéssemos como melhor aplicar os recursos públicos nos dois anos seguintes”, explica.

- Publicidade -

Bastante otimista quanto ao ano que começa, Binotti acredita que após dois anos de muito trabalho, planejamento e economia para organizar administrativa e financeiramente o Executivo luverdense, em 2019 foi possível colocar em andamento alguns dos principais projetos e ações previstos para serem executados ao longo do mandato. “O ano de 2019 foi quando se tornou possível colher os frutos desse planejamento e dessa economia para dar início, concluir e inaugurar muitas obras indispensáveis para o desenvolvimento econômico e social de nosso município. E muita coisa boa e necessária ainda vem por aí”, frisa.

Na área da saúde, apontada por ele como uma das melhores de Mato Grosso e talvez do próprio país, os cuidados com a atenção básica chegam a 100% da população luverdense e a necessidade de envio de pacientes para atendimento em hospitais de outros municípios tem sido cada vez menor devido ao aporte de recursos municipais, estaduais e federais que têm contribuído para equipar e equilibrar as contas do Hospital São Lucas.

Mesmo assim, por ser um setor crítico em todo país e dependente de iniciativas das esferas estadual e federal, torna-se impossível atender da melhor maneira todas as demandas e satisfazer a totalidade das pessoas. Um exemplo são aqueles pacientes que aguardam um atendimento por parte do Estado na fila da Regulação e que muitas vezes acham que a responsabilidade pela demora é do município.

“Temos sempre procurado melhorar o atendimento naquilo que é de competência do município, que são as unidades básicas de saúde, e até mesmo em áreas de maior complexidade, que não são da nossa alçada. Estamos construindo um novo PSF no Vida Nova II, que deverá ficar pronto até o final de março para atender toda a região. Será uma unidade inédita em Lucas do Rio Verde, com duas equipes do Programa de Saúde. Com o aval do Ministério da Saúde, também resolvemos o problema da Unidade de Pronto Atendimento, criando o Pronto Atendimento Municipal, o PAM, com a transferência do Posto Central para lá, visto que a UPA não era uma boa solução para o município”, aponta entre as medidas tomadas para que o setor continue sendo modelo.

Em relação à área educacional, o principal destaque mencionado foi a chegada do primeiro campus avançado da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), uma conquista que beneficiará principalmente as camadas menos favorecidas da população, que terá acesso a vários cursos públicos e gratuitos, além dos dois, de engenharia civil e de engenharia de alimentos, já em funcionamento desde o primeiro semestre do ano passado.

“Falar em trazer ou em lutar para trazer uma universidade pública para Lucas já é um desafio. Concretizar o sonho de ter uma universidade pública, como nós conseguimos com um trabalho incessante nesses três últimos anos, é um desafio maior ainda. Foram inúmeros encontros com o pessoal da Unemat para garantirmos esta que para mim é a maior conquista da nossa gestão”, pontua.

Sem descuidar do aspecto pedagógico, em que o município também tem sido destaque, com o segundo melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de Mato Grosso entre as escolas municipais, Binotti também aponta a necessidade de concluir um total de 100 novas salas de aula até o final da gestão para conseguir dar respostas ao rápido crescimento populacional do município.

“Onde era possível otimizar o espaço, temos procurado ampliar as unidades já existentes. É o caso da Caminho para o Futuro, que ganhou 10 novas salas de aula, exemplo que deverá se repetir na Cecília Meireles, com um novo bloco e uma piscina, e na Fredolino Vieira Barros. Criamos a Balão Mágico, ampliamos a Creche Menino Jesus, concluímos e entregamos a Creche Girassol, para mais 450 crianças, estamos readequando o Condomínio Rosa para criar o Centro de Educação Infantil Paulo Freire, com 16 salas de aula, que atenderá 600 crianças do Cerrado e imediações, duplicamos o tamanho da Padaria Escolar”, salienta.

Além disso, o valor de R$ 9 milhões, um dos maiores investimentos com recursos próprios, será destinado para a construção, já em andamento, da Escola Municipal Cora Coralina, no Bairro Jaime Seiti Fujii. A unidade, que ficará pronta até a metade deste ano, terá 20 salas de aula e deverá atender em tempo integral 800 crianças da região. Outra novidade, depois de sucessivas gestões e audiências em Cuiabá, foi a retomada das obras da Escola Estadual Tarsila do Amaral, no Loteamento Dalmaso, unidade que terá 16 salas de aula e cuja construção havia sido interrompida pelo governo do Estado.

O prefeito também destacou a execução da obra da Avenida Brasil como uma das prioridades da administração por se tratar de um eixo estruturante e da entrada Sul da cidade, pois, assim que chegar à BR-163, irá melhorar o fluxo do trânsito em outras áreas, principalmente no Centro, com o desvio de um alto número de veículos para aquele novo trecho viário.

Na mesma linha de importância, Binotti citou a inauguração do novo Fórum da Justiça do Trabalho, construído na área reservada para o Espaço do Cidadão, que deverá abrigar um complexo de órgãos do sistema de justiça que reunirá o novo Fórum da Comarca, já em construção, as sedes da Defensoria Pública, do Ministério Público e da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, entre outros órgãos de serviços à população. “Após concluídas, todas essas obras representarão a injeção de cerca de R$ 40 milhões na economia de nosso município, movimentando o comércio e gerando mais empregos para os trabalhadores locais”, destaca.

A Avenida Beira Mata integra o projeto do complexo esportivo-cultural e de revitalização da área do antigo Parque de Exposições, hoje Centro de Eventos Roberto Munaretto. “Na esquina onde era o Horto Municipal, vamos construir o quartel da Polícia Militar. Ali temos o CTG, o Centro de Eventos, com a Expolucas, o Ginásio Pimpão, o Senai, o Colégio La Salle, e vamos fazer ainda mais um campo de futebol ali nas proximidades do Pimpão. Vamos deixar espaço para, futuramente, construir ali um grande ginásio de esportes e um teatro municipal. Enfim, será uma grande área destinada a práticas esportivas e culturais dentro da cidade”, acrescenta.

Outro investimento em infraestrutura considerado fundamental será a perfuração de três novos poços artesianos e a construção de cinco reservatórios de água interligados, até o final de 2020, para resolver o problema de abastecimento que já vem sendo enfrentado por alguns bairros da cidade. “A cidade cresceu, surgiram novos bairros, muitas casas e já temos mais de 10 anos sem a construção de um só reservatório de água. Por meio de um estudo, constatamos que não há necessidade de captação de água do Rio Verde, como pensávamos anteriormente. O problema será resolvido por muitos anos com a construção de mais reservatórios, principalmente se conseguirmos a universalização do esgoto, acabando com o risco de contaminação do lençol freático”, observa.

Quanto à segurança, uma das questões essenciais de seu Programa de Governo, Binotti disse que o Programa Lucas Protegida entrará em ação com o reforço de 70 câmeras de vigilância que serão instaladas em pontos estratégicos e nos pontos de entrada e saída da cidade, modernizando o sistema da central de monitoramento. “Além do trabalho integrado entre todas as forças para otimizar a atuação e o uso de inteligência como forma de oferecer mais tranquilidade e melhorar o atendimento, precisamos usar a tecnologia a serviço da segurança. Não temos como exigir do Estado mais pessoal para fazer rondas ou atender esse tipo de serviço”, considera.

Em que pese o fato de o governador do Estado ter decretado estado de calamidade financeira até o final de novembro do ano passado, provocando lentidão e praticamente a paralisação de muito convênios e ações governamentais, Binotti observa que em 2019 houve uma recuperação gradual e uma melhora significativa da economia real por conta de algumas iniciativas do Governo Federal que estão fazendo com que o país retorne a patamares anteriores bem mais expressivos. “Eu estou muito confiante em relação a 2020 e tenho certeza de que a economia vai melhorar, Mato Grosso vai melhorar, o país vai avançar e, consequentemente, Lucas do Rio Verde irá pelo mesmo caminho e vai ter muitos investimentos que são aguardados para os próximos meses”, avalia.