O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi enfático, ao responder pergunta feita por Só Notícias, em coletiva nacional, ontem, que a concessão do trecho de mais de 1 mil quilômetros da BR-163, entre Sinop e Itaituba (PA), apagará a ‘memória ruim’ e a ferida que ficou em Mato Grosso com a concessão da mesma rodovia, mas entre Sinop e Itiquira, que é de responsabilidade da Rota do Oeste.

Neste trecho, as obras estão paralisadas há mais de 4 anos e deveriam ter sido concluídas em 2019. Para TarcísioFreitas, a população se surpreenderá positivamente com a nova concessão, já que os instrumentos contratuais são mais ‘robustos’. “Se a gente pegar esse modelo não tem nada haver com aquele modelo lá de trás, não há descasamento entre demanda e investimento”, destacou.

O ministro apontou também que no contrato entre Sinop e Itiquira, há problemas na modelagem, bem como foi veemente ao lembrar que a Odebrecht se envolveu em esquemas de corrupção. “Além de tudo tivemos uma empresa que ganhou a licitação e se envolveu na Lava Jato”, acrescentou.