Mulher é detida por injúria e rancísmo

Uma guarnição da PM foi acionada por volta das 14h desta terça-feira, para comparecer a um estabelecimento comercial, localizado na Avenida Paraná no Centro de Lucas do Rio Verde, onde foi relatado que por várias vezes uma mulher de 46 anos, teria ido até o local e de forma violenta ameaçando que iria atear fogo no local, pois ali trabalha um ‘veado’, se referindo a um rapaz de 30 anos, homossexual. Ela disse que não trabalharia com um ‘veado’ que além de tudo é ‘preto’.

Consta no boletim de ocorrência, que a suspeita ainda teria arremessado objetos contra ele.

Com a chegada dos policiais militares, a suspeita que estava enrolada em uma toalha de banho, teria corrido para dentro de seu estabelecimento comercial, dizendo que iria colocar uma roupa, mas quando voltou estava ainda mais agressiva, dizendo que não tinha medo de ninguém, tinha muito dinheiro e que nada iria acontecer a ela.

Com o apoio de uma outra guarnição, os policiais entraram no estabelecimento da suspeita e disseram que ela teria que acompanhá-los até a delegacia. A mulher teria ficado ainda mais agitado e dizendo que não iria. Os militares tiveram que utilizar de força moderada para algemar a suspeita.

Durante a confecção do boletim, a suspeita ainda teria ameaçado a guarnição.

A mulher deverá responder aos crimes de ameaça, desobediência, resistência, injúria e preconceito.