O aumento médio no preço do etanol, que chegou a 5,64% em maio, faz com que o derivado da cana-de-açúcar não valha a pena nem no Estado paulista, que tradicionalmente detém os valores mais em conta desse combustível no Brasil.

Conforme levantamento da empresa de logística Ticket Log, no mês passado o etanol foi mais vantajoso do que a gasolina somente em Mato Grosso, com média de R$ 4,156 por litro. Os valores, porém, têm aumentado e a tendência é que o álcool combustível perca na comparação em todo o território nacional no fim de junho.

Em abril, eram cinco os unidades da Federação nas quais o combustível de origem vegetal valia a pena ante a gasolina.

“As altas em maio no Paraná [11%], Goiás [7,82%], Minas Gerais [10,43%] e São Paulo [13,54%] retiraram esses Estados da lista de regiões com o etanol mais vantajoso para o consumidor, restando apenas Mato Grosso. Os aumentos foram motivados pela estiagem, que ocorreu no verão, e pela alta do preço do açúcar no mercado internacional”, analisa Douglas Pina, head de mercado urbano da Edenred Brasil – dona da Ticket Log.

Pina destaca que nestes quatro Estados, o preço médio da gasolina também subiu, mas não o suficiente para que o combustível não fosse o mais indicado. Nos postos paranaenses, a gasolina avançou 2,17%; nos goianos, 2,35%; nos mineiros, 1,56%; e, nos paulistas, 1,80%.

 

Como é feito o cálculo

A definição dos Estados onde o etanol é mais vantajoso tem como base o IPTL (Índice de Preços Ticket Log).

O índice aponta o custo em reais por quilômetro rodado, levando em conta o preço médio do litro do combustível e o consumo médio – fixado em 8,5 km/l para o álcool e em 11,5 km/l para a gasolina.

Evidentemente, há variações, dependendo do veículo.

É preciso considerar que o combustível de origem vegetal eleva o consumo em aproximadamente 30%, com variação para baixo ou para cima. Por esse motivo, só vale a pena usar etanol quando a diferença no preço supera percentualmente o gasto extra de combustível.