A rede pública de saúde de Lucas do Rio Verde passa por uma reorganização no método de atendimento nos PSFs. Para diminuir a espera e conseguir dar mais tempo hábil para cada atendimento, o Município está iniciando a aplicação da metodologia do Acesso Avançado que consiste em uma escuta qualificada que antecede o atendimento do paciente.

Dinâmico, rápido e de forma individual, é feito um acolhimento em sala particular para receber e ouvir o paciente, entender sua demanda e encaixá-lo dentro das possibilidades de serviços do PSF no mesmo dia ou em até 72h após o primeiro contato na unidade. A escuta qualificada do Acesso Avançado não é o mesmo serviço que a triagem, procedimento já conhecido e, sim, um serviço a mais a ser ofertado.

Para a Secretária Municipal de Saúde, dra. Fernanda Heldt Ventura, o Acesso Avançado é uma forma de humanizar o atendimento e otimizar os serviços da Saúde.

“A escuta qualificada pode ser feita por qualquer profissional da Unidade, previamente capacitado para entender os serviços ofertados no PSF, reconhecer as necessidades do paciente e conectar as duas situações. Dessa forma é possível ofertar um atendimento de qualidade, com menos urgência, resultando em mais conhecimento de caso e também utilizar melhor todos os serviços e profissionais disponíveis na rede pública de saúde”, explica a médica.

De acordo com os preceitos do método de Acesso Avançado, parte dos atendimentos diários é para a demanda espontânea emergencial que surge naturalmente e a outra parte do tempo é destinada para agendamentos, possibilitando, então, reserva de tempo hábil para um atendimento estável, sem a pressa dos atendimentos de urgência.

“Dessa forma também é possível diminuir as filas nas unidades de saúde, já que o paciente não precisa chegar antecipadamente ao local para pleitear uma consulta ou atendimento. Ele só deve comparecer no horário agendado para o seu atendimento”, afirma a secretária.

É importante ressaltar que o paciente terá uma resposta para o seu caso em até 72h, seja  um atendimento emergencial no mesmo dia ou então um agendamento posterior na Unidade com algum profissional que possa atender a necessidade não urgente do paciente.

“Estamos buscando uma reestruturação forte e eficaz com esse método para retomar o controle sobre a Atenção Básica, para melhorar a qualidade dos atendimentos prestados nos PSFs. Desde o ano passado, com o início da pandemia, os atendimentos básicos da rede pública de saúde ficaram em funcionamento de forma secundária, já que a luta contra o coronavírus virou prioridade não só local, como nacional e mundial”, ressalta a secretária de Saúde.

O Acesso Avançado tem sido implementado gradativamente em Lucas do Rio Verde por meio de reuniões com as equipes das unidades de saúde para orientar sobre o método de atendimento e qualificar os profissionais sobre a importância da escuta qualificada. A fase de adaptação com a população pode levar de um a três meses.