GAECO faz operação em Sorriso, Sinop, Lucas, Mutum e prende 9 por roubos de defensivos agrícolas

O GAECO (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) faz, neste momento, a operação Camuflagem 2, em Sorriso, Lucas do Rio Verde, São José do Rio Claro, Nova Mutum, Sinop. Cuiabá e Canarana (região Araguaia) para prender envolvidos com roubos de agrotóxicos e caminhonetes. Foram cumpridos 9 mandados de prisão, um dos investigados é funcionário de uma empresa em Sorriso, que vende produtos.

Também foram cumpridos 13 mandados judiciais de buscas e apreensões. Um veículo importado, Ssangyong Actyon A23 prata, com placas de Marcelândia foi apreendido em Sorriso.

O delegado de Polícia Civil Andre Ribeiro disse que “o centro da operação é em Sorriso, mas há diversas cidades que (foram) cumpridos mandados de buscas, na capital, Sinop , Lucas do Rio Verde, na região de Nova Mutum. É uma organização criminosa que agia na região toda de Mato Grosso visando o roubo de defensivos de caminhonetes, roubo na zona rural. Temos diversos alvos. Foram encontrados munições, muitos documentos, defensivos e roupas. Isso comprava a organização criminosa. A operação continua”.

A promotora Maysa Fidelis explicou, em entrevista coletiva, que a “quadrilha atua há mais de um ano e meio”. “Essa quadrilha atua na região, não podemos falar detalhes, porém, conseguimos nomes e cumprimos nove mandados”. “Trata-se da segunda fase da operação Camuflagem, que foi desencadeada a combate a organização criminosa que comete roubos de veículos e defensivos agrícolas, aqui na região. Ela engloba diversos municípios no Estado e diversas equipes (de segurança) que deram apoio”, explicou.

Policiais da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), PM, Polícia Rodoviária Federal, Ciopaer reforçam a operação. A base é em Sorriso onde há uma unidade regional do GAECO.

No final de semana, em União do Sul (170 km de Sinop), bandidos invadiram uma fazenda, amarraram o caseiro e roubaram defensivos agrícolas.

Em outubro, em Lucas do Rio Verde, policiais do GCCO trocaram tiros com ladrões de defensivos agrícolas. Dois morreram e dois foram presos. Parte da carga, avaliada em mais de R$ 1 milhão, foi recuperada.

Diversos outros furtos e roubos de defensivos agrícolas em fazendas, este ano, foram esclarecidos pela polícia.

O plantio da safra de soja nas regiões Norte e Médio Norte está na reta final e o consumo de agrotóxicos, nas próximas semanas, tende a aumentar consideravelmente com produtores estocando parte dos produtos em fazendas.