Quem passou pela Casa do Artesão, na Praça da Liberdade de Lucas do Rio Verde, neste sábado (05), pôde apreciar e comprar artefatos de madeira, máscaras de pano, lembranças da cidade e trabalhos de crochê disponíveis por artesãos durante a feira realizada no entorno do setor.

“Por conta da pandemia, algumas de nossas artesãs se afastaram dos trabalhos. Realizamos esta feira hoje para que elas pudessem retornar, aos poucos e com todos os cuidados necessários que este momento de pandemia pede” explica Daiane Gruber, responsável pela Casa do Artesão.

Há dois meses, a Secretaria de Cultura, por meio dos responsáveis pela Casa do Artesão, faz o trabalho de resgatar os profissionais, respeitando as medidas sanitárias e os decretos, para que a categoria não fique prejudicada sem as vendas, já que as feiras livres que acontecem aos finais de semana estavam paralisadas.

Todos os comerciantes estavam usando máscara, álcool em gel nas barracas e distantes uma das outras. Lucas do Rio Verde conta com 69 artesãs na cidade. Porém, não são todas que participam das feiras, devido a pandemia, retornando aos poucos.

Ley Magalhães, jornalista e artesã de laços e produtos decorativos, foi uma das expositoras da feira. “Reunir os artesãos e expor os seus trabalhos é mais que importante. Tanto pra sociedade que se diverte, vê coisas bonitas, adquire bons produtos, e para os artesãos por ser uma renda extra. É uma forma de comercializar o seu produto com público o suficiente para um bom consumo”, enfatiza Ley.

Uma roda de capoeira animou as vendas no espaço. O prefeito Miguel Ribeiro e a primeira-dama Janice Ribeiro compareceram no local para prestigiar o evento.