Comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tenente-coronel Ronaldo Roque
O comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tenente-coronel Ronaldo Roque, afirmou que empresário Luiz Miguel Melek deu apoio à quadrilha que roubou duas cooperativas de crédito em Nova Bandeirantes (a 1.026 km de Cuiabá), na última segunda-feira (7).

Luiz Miguel é um dos quatro homens que foram mortos em confronto com o Bope, dois dias após o assalto em uma região de mata do Município. A família nega qualquer envolvimento com a quadrilha e afirma que ele estaria na região entregando óleo para um garimpo.

“Ele estava junto com a quadrilha. Fugiu com eles para a mata e estava junto no momento do confronto. A informação que temos é que ele deu apoio à quadrilha nos assaltos”, disse Roque.

O coronel acrescentou que em nenhum momento da ação Luiz Miguel pediu ajuda aos policiais, descartando a versão de que poderia estar ali como refém ou de passagem.

Comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tenente-coronel Ronaldo Roque

Quero deixar claro que o Bope nunca sai em uma operação para executar ninguém

“Quero deixar claro que o Bope nunca sai em uma operação para executar ninguém. Pelo contrário, estamos ali para defender a sociedade e claro, as nossas vidas, em casos de confronto como esse”, afirmou.

Roque disse, ainda, entender a dor e a revolta da família e declarou que não irá entrar em um debate sobre a morte do empresário. Mas que a Polícia Civil irá instaurar um procedimento para investigar o caso e tudo será esclarecido.

Além de Luiz Miguel, que tem 40 anos, foram mortos Romário de Oliveira Batista, de 35, e Maciel Gomes de Oliveira, de 37.

As identidades deles foram reveladas pela polícia na tarde de sexta-feira (11).

Ao contrário de Romário e Maciel, a polícia informou que Luiz Miguel não tem passagens.

 

O confronto

Os policiais do Bope foram chamados pela equipe da Força Tática, depois de virem que uma camionete branca fugiu assim que o motorista avistou a barreira policial, retornado com o veículo pela Estrada Procomp.

A equipe da barreira foi atrás dos suspeitos e avistaram as pessoas abandonando o carro, correndo em direção à mata.

Os policiais do Bope então foram em busca dos suspeitos no meio da mata.

Em um dado momento, a equipe foi surpreendida por disparos de arma de fogo e iniciou-se um confronto armado.

Com os bandidos foram encontradas roupas militares, armas e parte do dinheiro do roubo.