Proprietários de lanchonetes e restaurantes pedem para trabalhar

Proprietários de restaurantes, bares e lanchonetes, fizeram na tarde desta quarta-feira, um manifesto de forma pacífica, enfrente a prefeitura municipal, com o objetivo de sensibilizar o prefeito a flexibilizar as restrições impostas no decreto publicado na semana passada. A maioria da classe entende que eles são os únicos prejudicados no decreto e não estão conseguindo trabalhar, arcando com enormes prejuízos. O proprietário do restaurante Macanudo, Flávio Rodrigues do Amaral, falou das dificuldades que está enfrentando para manter o comércio e disse esperar que o prefeito retribua a ele e a todos, todo o apoio político que teve na eleição de quatro anos atrás. “Desde o primeiro decreto publicado no dia 20 de março é sempre o mesmo segmento que está sendo achacado. Entre horário, proibições e decreto encima de decreto é só lanchonete, restaurantes e bares que estão pagando a conta. Espero que o prefeito nos atenda, volte com o alvará vigente e nos deixe trabalhar. Hoje está todo mundo trabalhando normal. Tem gente que quer que a pandemia dure mais uns três meses, porque estão ganhando muito dinheiro, enquanto a nossa classe está sendo prejudicada. O fechamento do comércio não pode ser parcial. Se for fechar fecha tudo e não só a gente, caso contrário vai quebrar a classe toda. Quero ver se o prefeito virá falar com a gente. Na hora de pedir voto, a maioria de nós o ajudou a se eleger e ele sabe muito bem disso. A eleição dele, praticamente se deu lá dentro do Macanudo” concluiu Flávio.

A opinião do empresário é praticamente a mesma de todos os manifestantes.

Conforme o decreto publicado na última segunda-feira, os bares e restaurantes, só poderão atender na forma de delivery, sem a venda de bebida alcoólica e até as 21h.

Os manifestantes saíram do manifesto sem serem recebidos pelo prefeito, mas com a promessa de que um novo decreto deve ser publicado nas próximas horas, liberando a venda de bebida e estendendo o horário de atendimento até as 23h.