UFMT apresenta cronograma para execução do projeto do campus de Lucas do Rio Verde

Menos de um ano depois da concretização do sonho de ter o campus avançado da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Lucas do Rio Verde poderá ver aprovado o projeto para instalação do campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) no município. O cronograma para execução do projeto de implantação foi entregue pelo próprio reitor da instituição, Evandro Soares da Silva, ao prefeito Luiz Binotti durante o encontro ocorrido na tarde da última sexta-feira, 18, no Paço Municipal.

Conforme o roteiro apresentado, tudo indica que até o início de outubro a proposta será enviada para apreciação do Ministério da Educação e, uma vez aprovada, seguirá para o Ministério da Economia e o Congresso Nacional para dar andamento aos trâmites finais.

A reunião de trabalho contou ainda com a participação do diretor de Desenvolvimento Humano, Gílson Pedro Pelicioni, da secretária municipal de Educação, Cleusa Marchezan De Marco, do professor Roberto Perillo, designado pela UFMT para coordenar o projeto de implantação, do pró-reitor da UFMT de Sinop, Roberto Carlos Beber, do engenheiro Adriano Aparecido de Oliveira, da Secretaria de Estado de Infraestrutura, da secretária adjunta de Educação, Kátia Cantão Mundim, e das assessoras técnicas Izana Néia Zanardo, Loren Morita e Jéssica Cristina Scherwinski .

Segundo o reitor Evandro Silva, esse foi mais um passo importante para o avanço das negociações entre a instituição e o Executivo local para concretizar a instalação do campus da UFMT em Lucas do Rio Verde. “Esta foi uma reunião de trabalho onde a gente trouxe aqui a execução de um cronograma físico dos projetos pedagógicos, do projeto arquitetônico, colocando as propostas e, principalmente, vislumbrando a questão do planejamento para execução da obra. Tudo isso para que possamos compilar todas essas informações e encaminhar um documento para o Conselho Diretor da UFMT e, uma vez aprovado esse projeto, encaminhá-lo para o MEC para que num futuro muito próximo tenhamos aqui em Lucas do Rio Verde um campus da UFMT de forma presencial”, explica.

Em sua opinião, até o início de outubro será possível protocolar a proposta no Ministério da Educação para que se houver alguma necessidade de modificação e o órgão devolver o processo, no menor prazo tudo seja resolvido para aprovação do projeto político-pedagógico e também do projeto da proposta do campus. ”Depois de aprovado pelo MEC, segue para o Ministério da Economia e o Congresso Nacional para aprovação e definição de um orçamento para contratação de professores, de técnico administrativos e de um orçamento adicional para custeio do campus. Se tudo der certo, já será possível abrir o vestibular para que os alunos possam ingressar e a gente dar o prosseguimento no ensino, na pesquisa e na extensão do novo campus”, destaca.

O projeto apresentado prevê a implantação de três cursos iniciais a partir de uma pesquisa de mercado e de demanda social da região encomendada pelo próprio Poder Executivo. “Assim, temos três cursos propostos priorizados, que são engenharia de produção agroindustrial, administração e ciência da computação e temos ainda mais sete cursos que, ao longo do tempo, poderão ser implantados”, observa.

A secretária Cleusa Marchezan De Marco lembra que a tramitação do processo dentro da UFMT vem desde 2018 e que de lá para cá, graças ao empenho do próprio reitor e de sua equipe e do esforço da administração local e da equipe da Secretaria de educação, já foram cumpridos vários protocolos que o MEC exige que sejam providenciados e encaminhados por meio da própria Universidade, como documentos sobre infraestrutura, projetos pedagógicos, definição dos cursos, levantamento da demanda, entre outros.

“Hoje fizemos uma avaliação do tempo necessário para finalizar todos os protocolos com os documentos que o MEC exige para a tramitação dentro do próprio ministério para implantação do campus em Lucas do Rio Verde. Acreditamos que até o final de setembro teremos todos os documentos necessários e, possivelmente, no início de outubro vamos protocolar o processo no MEC para solicitar a autorização para implantação do campus local”, disse.

Para ela, a vinda da UFMT representará a realização de um sonho de décadas da sociedade luverdense e vai contemplar a juventude com mais uma universidade pública e gratuita que vai contribuir enormemente para o avanço do desenvolvimento econômico que já se prenuncia com a chegada da ferrovia. “Precisamos contar também com os cursos da UFMT para qualificar os nossos trabalhadores e jovens que vão adentrar no mercado de trabalho e para consolidar Lucas do Rio Verde como polo educacional e Cidade do Conhecimento”.