Secretário anuncia construção de nova PCH

Incentivar a vinda de novas indústrias e aumentar a geração de emprego e renda. Esse é um dos objetivos do secretário de desenvolvimento econômico de Lucas do Rio Verde, Paulo Franz. “Nós acreditamos na economia forte e entendo que você ajuda um povo, ou alguém, trazendo oportunidades. Nesse sentido nós já estamos em contato com várias empresas que demonstraram interesse em se instalarem em nosso município. Já existem algumas coisas concretas acontecendo. Entendemos que o gestor público precisa pensar grande. Principalmente com a possibilidade da chegada desse complexo ferroviário, Lucas do Rio Verde irá mudar para sempre e a instalação novas e grandes indústrias aqui é algo que vamos viabilizar” garantiu o secretário.

Em relação as ferrovias, Paulo Franz acredita que ao menos uma delas deverá chegar a Lucas do Rio Verde, muito em breve. “A RUMO, que vem de Rondonópolis, já está com o caminho traçado via Campo Verde e chegará em algum lugar ao sul de Lucas. A gente ainda não tem acesso a essas informações que estão sendo mantidas em sigilo. Esse é um projeto gigantesco e o mais próximo de ser concretizado. Nós estamos trabalhando no sentido para que venham trens para transportar cargas líquidas. Nós pensamos que de nada adianta incentivar a vida da ferrovia se for pra vir aqui levar apenas soja e milho. Isso só vai gerar riquezas em outras partes do mundo. Entendemos que precisamos vender produtos já industrializados, como DDGs, Etanol, Bio Diesel e carne. A ferrovia FICO é bem mais difícil, porque envolve bem mais recursos e deve demorar um pouco mais. Já a Ferro Grão, não sei a nossa geração irá sobreviver para ver, porque é algo muito complexo, que envolve a região amazônica” concluiu.

O secretário informou ainda, que o município de Lucas do Rio Verde, já recebeu dos órgãos competentes a autorização para iniciar as obras de mais uma PCH hidroelétrica, nos mesmos moldes da já existente “Canoa Quebrda” construída no Rio Verde.

A nova usina terá capacidade de gerar energia suficiente para abastecer uma cidade de até 100 mil habitantes. As obras devem começar ainda neste primeiro semestre.