PRF reforçará fiscalização em Sinop, Sorriso, Lucas e Guarantã no feriado prolongado

A Polícia Rodoviária Federal confirmou, há pouco, que reforçará o policiamento ostensivo e preventivo com foco na diminuição dos acidentes de trânsito nas regiões de Sinop, Sorriso, Lucas do Rio Verde e Guarantã do Norte. As fiscalizações terão como foco embriaguez ao volante, uso de cinto de segurança, uso dos faróis, ultrapassagens indevidas, dispositivos de retenção para crianças, trânsito de motocicletas entre outros.

A operação Finados, nas rodovias federais, começou hoje de madrugada. A restrição de tráfego para alguns tipos de veículos de carga em rodovias com pista simples será mantida até segunda-feira, das 16h às 22h. Já sábado, será das 6h às 12h.

“Estamos dando início a operação Finados que acontece em âmbito nacional, em todas as rodovias federais. Vamos abordar a situação da nossa regional que é a sexta delegacia ( em Sorriso) e o nosso trecho que é extenso, se inicia entre Nova Mutum e Lucas e se estende na divisa com o Pará. Mais ou menos 500 quilômetros. A operação vai ocorrer em todo esse trecho com enfoque especial nas áreas urbanas de Sinop, Guarantã do Norte e de Sorriso”, explicou o policial federal, Jefferson Andrade, em entrevista coletiva.

A Polícia Rodoviária Federal recomenda a adoção de comportamentos viários defensivos, como respeitar os limites de velocidade, manter distância de segurança em relação aos demais veículos, ultrapassar apenas quando houver plenas condições de segurança, manter os faróis ligados mesmo durante o dia e redobrar os cuidados ao conduzir sob chuva. “O objetivo principal da Polícia Rodoviária Federal é garantir a segurança no trânsito e a paz nas rodovias. Salvando vidas, evitando acidentes e diminuindo as criminalidades. Vamos focar no combate a alcoolemia, questão de não se dirigir quando fizer o uso de bebida alcoólica”, emendou o policial.

O feriado prolongado de Finados deverá ter um aumento médio de 38% no fluxo de veículos leves BR-163, em Mato Grosso. Em contrapartida, deve ocorrer uma queda de 15% na presença das carretas e caminhões na rodovia. A estimativa é da empresa que administra a rodovia.