Bombeiros retomam buscas por criança com cão que ajudou no resgate em Brumadinho

O soldado do Corpo de Bombeiros em Sinop, Bruno Ferreira Lima e o cão Luke já estão em Lucas do Rio Verde para ajudar nas buscas pelo garotinho Heitor, de 2 anos, que está desaparecido desde quinta-feira à tarde. O binômio, como é conhecida a dupla (militar e cão) participou do resgate de vítimas no soterramento da mineradora em Brumadinho (MG).

Esta manhã, o major e comandante do Corpo de Bombeiro de Lucas, Alex Queiroz da Silva disse, que nada foi encontrado. “O primeiro animal que utilizamos faz as buscas pelo cheiro característico da criança. Agora, o que estamos utilizando, vai encontrar independente da pessoa, é possível fazer as buscas. Por isso, até estamos pedindo para pessoas que não fiquem na área. O primeiro cão indicou até a rodovia e depois perdeu o rastro.

Ainda de acordo com o major, a Polícia Civil também trabalha no caso por acreditar num possível sequestro da criança. “Estamos trabalhando com várias hipóteses. Uma delas é que ele tenha sido levado. Temos conversado com a Polícia Civil que investiga essa possibilidade. Uma pessoa que passou pelo local, no horário que ocorreu o fato e relatou que viu a criança na às margens da MT-449. Afirmou ainda que não parou porque viu pessoas próximas e pensou que fossem parentes. Depois que ficou sabendo do desaparecimento relatou isso para polícia também. Isso reforça ainda mais a possibilidade pelo sequestro da criança”.

Os pais e o menino residem em Campo Novo dos Parecis e foram a Lucas passar o Natal com a avó da criança. Na quinta-feira, véspera de Natal, por volta das 15h, teria ocorrido uma queda de energia, o pai e mãe saíram para resolver o problema e deixado a criança dormindo. Quando retornaram para dentro da residência não localizaram mais o menino.

Ele foi visto na quinta-feira, pela última vez, próximo à casa da fazenda, às margens da MT-449 e perto da Fundação Rio Verde. Apesar da angústia e sofrimento dos pais e demais familiares no dia Natal, houve gestos de solidariedade. Cerca de 100 pessoas, voluntárias, também ajudaram fazendo buscas na área plantada de soja e ampliaram a ‘varredura’ para cerca de três mil metros, até as margens do rio Verde.

As buscas também foram feitas com ajuda do helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e outro de um morador de Lucas do Rio Verde.